Conheça a história do Centro Cultural Milton Nascimento

O Centro Cultural Milton Nascimento é um teatro localizado em Três Pontas/MG. Ele foi construído entre os anos de 1969 e 1970 pelo empresário carioca Carlos José, com a intenção de abrigar o Cine Rio – um cinema para os trespontanos, que contava com 471 lugares. A estreia exibiu o filme Barbarella, um clássico franco-italiano de ficção científica dirigido por Roger Vadim e estrelado por Jane Fonda. O local depois foi adquirido pelo empresário trespontano, Fabiano Alexandrino de Abreu, e passou a trazer muitos lançamentos e sucessos de bilheteria em todo o Brasil.

Em 1988, com o então Prefeito Carlos Mesquita, o prédio foi adquirido pelo Patrimônio Público e transformado em Centro Cultural de Três Pontas. Nessa época passou por algumas reformas para adaptar-se à condição de teatro, construíram um palco e um camarim para atender à demanda dos artistas que apresentavam no local. Somente com a Lei nº 1.818/1996, do Prefeito Tadeu José de Mendonça, o local passou a se chamar Centro Cultural Milton Nascimento.

Com uma arquitetura funcional e utilitária, o Centro Cultural Milton Nascimento é uma perfeita adequação do edifício à sua finalidade. Com características arquitetônicas que predominas o uso de linhas geométricas retas, simplicidade nas formas, ausência de elementos decorativos e presença de simetria, tanto na fachada quanto na distribuição dos espaços.

Em 2006 o prédio foi restaurado pelo então prefeito Paulo Luis Rabello e Secretário de Cultura Haroldo de Sousa Figueiredo Júnior, o local ganhou novo piso, pintura, cortinas eletrônicas e estofado para as poltronas. Em seu segundo mandato, o prefeito Paulo Luís deu início à outra reforma para melhorar o espaço e deixar mais acessível.

Nessa obra, todas as poltronas foram retiradas e o piso foi refeito. Muitas poltronas que estavam quebradas ou rasgadas também serão restauradas para dar mais conforto à plateia.

Quem já passou pelo Centro Cultural Milton Nascimento?

Na sua história, já abrigou espetáculos de Oswaldo Montenegro, Telo Borges e Flávio Venturini, 14 Bis, Saulo Laranjeira, homenagens ao Clube da Esquina (com Milton Nascimento e Grupo Ânima), Toninho Horta, além de oficinas de Teatro (uma delas com o Grupo Kabana de teatro de rua), A Bela e a Fera (do diretor Kleber Junqueira), entre muitos outros eventos.

Atualmente recebe os principais eventos culturais de Três Pontas, por exemplo, o Concurso Rainha Expocafé, espetáculos teatrais, shows de humor, apresentações musicais, debates e palestras. O local é um símbolo do grande potencial cultural do Município e revela, a cada dia, novos talentos e artistas trespontanos.

Comentários

Comentários

%d blogueiros gostam disto: