3 poesias para se ler no Dia de Reis

Hoje (06/01) é Dia de Reis! Segundo a tradição cristã, essa seria a data em que os Três Reis Magos (Baltazar, Belchior e Gaspar) visitaram o recém-nascido Jesus de Nazaré.

Eles saíram do Oriente e presentearam o Menino Jesus com ouro, incenso e mirra, como está narrado no Evangelho de Mateus. O ouro representa a realeza, pois os Magos procuravam o rei dos judeus; o incenso, a fé, simbolizando a oração que chega a Deus; e a mirra, uma resina usada como remédio, de sabor amargo, remetia ao sofrimento que Jesus iria passar. No dia 6 de janeiro, também, se encerram os festejos natalinos, data em que são desarmados os presépios, os enfeites e as árvores de Natal.

E para você não passar a data em branco, o Canal UltraNativo trouxe para você 3 poesias para você ler ainda hoje:

1 – Os Reis Magosreis magos
Olavo Bilac

Diz a Sagrada Escritura
Que, quando Jesus nasceu,
No céu, fulgurante e pura,
Uma estrela apareceu.

Estrela nova … Brilhava
Mais do que as outras; porém
Caminhava, caminhava
Para os lados de Belém.

Avistando-a, os três Reis Magos
Disseram: “Nasceu Jesus!”
Olharam-na com afagos,
Seguiram a sua luz.

E foram andando, andando,
Dia e noite a caminhar;
Viam a estrela brilhando,
sempre o caminho a indicar.

Ora, dos três caminhantes,
Dois eram brancos: o sol
Não lhes tisnara os semblantes
Tão claros como o arrebol

Era o terceiro somente
Escuro de fazer dó …
Os outros iam na frente;
Ele ia afastado e só.

Nascera assim negro, e tinha
A cor da noite na tez :
Por isso tão triste vinha …
Era o mais feio dos três !

Andaram. E, um belo dia,
Da jornada o fim chegou;
E, sobre uma estrebaria,
A estrela errante parou.

E os Magos viram que, ao fundo
Do presépio, vendo-os vir,
O Salvador deste mundo
Estava, lindo, a sorrir

Ajoelharam-se, rezaram
Humildes, postos no chão;
E ao Deus-Menino beijaram
A alava e pequenina mão.

E Jesus os contemplava
A todos com o mesmo amor,
Porque, olhando-os, não olhava
A diferença da cor …

Dia de Reis 1

2 – Folia de Reis
Luiz Carlos Gurutuba

É com saudades que lembro mais uma vêz,
De Andradina e suas Folias de Reis.
De Dezembro à Janeiro é tradição,
Essa lembrança eu trago no coração.

“Senhora dona da casa,
Abra a porta e venha ver
Os Três Reis do Oriente,
Vieram visitar você…”

Mestre,Contra-Mestre e Festeiros,
A flauta, o zabumba e o pandeiro.
A voz possante, vibrante do “Seu Quelé”,
E os palhaços mostrando a dança no pé.

“Senhora dona da casa,
Que nome quer que lhe ponha;
Sorriso de Madalena,
Olhos de Santa Belonha…”

E assim,de casa em casa,dia e noite,
A “Bandeira” cumple a sua missão.
De anunciar que Jesus Cristo nasceu,
Numa manjedoura,em palhas fofas,no chão.

“25 de dezembro,
Não se deita em colchão.
Menino Jesus nasceu,
Entre as palhas do chão…”

Seu “Bastião” ,Seu Tota e Seu Quelé;
Chico e Edson,Valdir,Valter e Pelé.
Dequinha,Alonso,Nelsinho e Seu Vicente,
Todos os anos eram foliões presentes.

Durante anos acompanhei,
O dia a dia de uma Folia de Reis.
“Estrela do Oriente” era minha preferida,
Guardo na lembrança,essa fase de minha vida.

“Dona da casa,adeus,
Até o ano que vem:
Se eu não morrer,”Nóis volta” (sic),
Se eu não morrer, “nóis vem” (sic).

Dia de Reis 23 – Celebração da Alegria
Pablo Rios

A marungada vai tomar as ruas
no dia da Festa dos Santos Reis
para pular a folia, a folia que não acaba
a folia que passa as décadas
a folia que alegra o viver, a folia.

Vão as máscaras
e os homens por trás delas
que se transformam em palhaços
alguns dias durante o ano.
Barbas, sustos nas crianças menores.

Hoje é dia de festa no interior.
A beleza de um povo
o esplendor nas danças
desfalca o mau humor crônico
faz sorrir quem está adoentado.

O folclore colorido, memória
tradição nas cores mais reluzentes
janelas escancaradas
alegres para os marungos
História viva, nada mais, a folia.

Foliões, boniteza
boniteza latina somente.
Nossos marungos barbudos
são nós em formato de canção
prontos para celebrar.

A bandeira carrega os símbolos.
O menino Jesus recebe os presentes
fitas, flores, tecido, papel.
Reis magos são acolhidos na casa do povo.
E o desfecho final é a jaca cortada!

E você, tem alguma poesia ou conhece alguma poesia de Dia de Reis? Deixe pra gente nos comentários!

Comentários

Comentários

%d blogueiros gostam disto: